IDEPI – Instituto de Diagnósticos Especializados Por Imagem

Densitometria Óssea Pediátrica

Densitometria Óssea PediátricaDensitometria Óssea Pediátrica

Desenvolvimento da estrutura dos ossos durante o crescimento

As alterações de desenvolvimento da estrutura dos ossos durante as duas primeiras décadas de vida tornam complexa a avaliação da massa óssea nesta faixa etária. Especialmente durante a adolescência, acontece a aquisição do pico de massa óssea. Muitos fatores como a hereditariedade, sexo, raça, hábitos de vida, questões hormonais, composição corporal e outro fatores, influenciam neste ganho de massa óssea, trazendo dificuldades para a interpretação dos resultados da Densitometria Óssea Pediátrica. Por isso, precisamos de especial atenção ao exame em crianças e adolescentes, evitando erros diagnósticos.

Vantagens da Densitometria Óssea Pediátrica

A densitometria óssea pediátrica é indicada para o estudo e melhor compreensão da dinâmica do tecido ósseo na infância e na adolescência, pois nesta fase da vida, o indivíduo atravessa um período crítico de desenvolvimento e crescimento esqueléticos, e atinge o pico de ganho da massa óssea.

Vários fatores podem interferir neste processo, portanto, a fim de indicar com precisão as condições necessárias para que crianças e adolescentes desenvolvam a melhor qualidade e quantidade de massa óssea, prevenindo deficiências na fase adulta, os exames de densitometria óssea são indicados no seguimento do paciente em crescimento.

Por meio da avaliação e monitoramento de alterações na densidade mineral óssea de corpo total e principalmente dos exames comparativos, a densitometria óssea contribui para o diagnóstico precoce das alterações que possam interferir no metabolismo ósseo.

Quando é indicado

É indicado caso o paciente atenda a algum dos seguintes requisitos:

  • Baixo peso (índice de massa corporal inferior a 18,5 kg/m²);
  • Caso de fratura prévia;
  • Fazer uso de remédios que elevam o risco de Osteoporose;
  • Doenças que influenciam no risco de Osteoporose;
  • Osteoporose já diagnosticada;
  • Acompanhamento tratamento da Osteoporose.

Contraindicação

  • Mulheres abaixo de 18 anos, grávidas ou com suspeita de gravidez;
  • Pessoas que fizeram exame com contraste de iodo ou bário não podem fazer a Densitometria Óssea durante uma a duas semanas, dependendo do contraste utilizado;

Preparo

Evitar a ingestão de cálcio até 3 dias antes do exame para evitar interferência no resultado.

Tempo de duração

É um exame rápido, que pode durar entre 5 e 15 minutos.

Como é realizado

Este exame é rápido e preciso, totalmente não invasivo e com baixa emissão de raios-X, tanto para o paciente quanto para o técnico. Durante a realização, o paciente permanece deitado em uma mesa acolchoada, enquanto o “braço” do aparelho, que contém o gerador de raios-X de um lado e o receptor de outro, percorre a área examinada, gerando as imagens em um monitor de computador.

Agende seu exame

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades