IDEPI – Instituto de Diagnósticos Especializados Por Imagem

Elastografia de Fígado, Mama e Tireoide

Elastografia de Fígado, Mama e TireoideElastografia de Fígado, Mama e Tireoide

Ultrassonografia para avaliação da rigidez dos órgãos

Novo método de diagnóstico que utiliza um aparelho de ultrassonografia para avaliar a rigidez dos órgãos examinados


Vantagens da Elastografia

Além de não ser um exame invasivo como as biópsias, tem um alcance quase 100 vezes maior no tecido. As vantagens incluem um tempo curto do procedimento, aproximadamente 5 minutos, resultados imediatos e a capacidade de realizar o teste à beira do leito ou em ambulatório.

Por ser um exame simples de ser realizado, pode ser executado por técnico habilitado, porém a interpretação clínica dos resul­tados, deve estar sempre nas mãos de um médico especialista e deve ser feita com pleno conhecimento dos dados da etiologia da doença e dos parâmetros labora­toriais essenciais.

Modalidades do exame

  • Elastografia Hepática
  • Elastografia da Mama
  • Elastografia da Tireóide

Elastografia de Compressão:

Utilizada em grande número de trabalhos já publicados no estudo da tireoide e mamas. Lesões benignas costumam ser mais amolecidas e elásticas, enquanto que lesões malignas são mais rígidas. Também já está sendo usada em avaliações tendíneas, pancreatites crônicas, avaliação vascular de placas ateromatosas e em ginecologia.

Elastografia por Ondas de Cisalhamento (Shear Wave):

A principal aplicação atual é a quantificação do grau de fibrose hepática. Quanto maior a fibrose, maior a velocidade do sinal na elastografia.

Trabalhos científicos têm correlacionado a elastografia com a escala METAVIR na avaliação da fibrose hepática e com o FIBROSCAN, que faz a elastografia sem avaliação visual, com resultados semelhantes, com a vantagem de permitir, no mesmo momento, um exame completo abdominal e um Doppler do sistema porta.

Pode ser realizada tanto em adultos, quanto na faixa pediátrica, e por muitas vezes substitui uma biópsia hepática. Também é útil na avaliação coadjuvante de nódulos hepáticos para diferenciação entre nódulos benignos e malignos.

Quando é indicado

Quantificação do grau de fibrose hepática. Parametrização na investigação de nódulos e alterações parenquimatosas difusas, facilitando a detecção precoce de lesões de potencial maligno. Auxilia a indicação de biópsias.

Contraindicação

Não percebe-se nenhuma contraindicação, porém existem algumas limitações. Situações que aumentam a rigidez hepática independentemente da presença de fibrose:

  • Atividade necroinflamatória
  • Colestase intra e extra-hepática
  • Congestão hepática

Preparo

Não existe preparo específico para este exame.

Tempo de duração

É um exame rápido, com média de duração entre 5 a 10 minutos.

Como é realizado

Através da compressão com o transdutor sobre a pele, avalia-se, através de uma escala de cores, a rigidez de estruturas superficiais. A Elastografia Virtual, porém, não apresenta a necessidade desta compressão, emitindo pulsos automáticos para análises dos nódulos.

Agende seu exame

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades