IDEPI – Instituto de Diagnósticos Especializados Por Imagem

Dopplerfluxometria Obstétrica

Dopplerfluxometria ObstétricaDopplerfluxometria Obstétrica

Mensuração dos fluxos nos vasos uterinos

A Dopplerfluxometria Obstétrica consiste no estudo da circulação através da mensuração dos fluxos em alguns vasos importantes para a gestação: as artérias uterinas, artérias umbilicais, artéria cerebral média e, quando necessário, o fluxo do Ducto venoso.

 

Vantagens da Dopplerfluxometria Obstétrica

Quando realizado na época das morfológicas de primeiro e segundo trimestres, o Doppler possibilita o rastreamento de risco para a gestante desenvolver Pré-eclâmpsia (doença hipertensiva da gestação), e também Restrição de crescimento fetal nas suas formas mais graves.

O estudo Dopplervelocimétrico é fundamental no seguimentos das doenças que causam anemia fetal, como algumas infecções e a eritroblastose fetal (isoimunização RH). É utilizado para analisar a circulação sanguínea da mãe, da placenta e do bebê. Enfim, permite diagnosticar precocemente sinais de má oxigenação (hipóxia fetal), auxiliando a estabelecer o melhor momento para o parto.

Este exame não utiliza radiação, e nem é invasivo, além de ser indolor e oferecer grande precisão nos diagnósticos.

Quando é indicado

É o exame indicado principalmente nos casos das gestantes com doença hipertensiva, trombofilias ou outros fatores que aumentam o risco para insuficiência placentária.

No terceiro trimestre, também tem indicação no acompanhamento do bem-estar fetal nas Restrições de Crescimento, oligoidrâmnio (líquido amniótico reduzido) e avaliação da vitalidade fetal. Permite diagnosticar precocemente sinais de sofrimento fetal por hipóxia, auxiliando o obstetra a tomar a conduta mais adequada para cada caso.

Seguem abaixo algumas das principais funções da Dopplerfluxometria obstétrica:

  • Diminuição da movimentação fetal;
  • Restrição de crescimento fetal;
  • Redução do volume de líquido amniótico;
  • Suspeita de restrição de crescimento intra-útero;
  • Amadurecimento precoce da placenta (senescência placentária);
  • Hipertensão arterial crônica;
  • Doença hipertensiva específica da gestação (DHEG) ou pré-eclâmpsia;
  • Alterações imunológicas e trombofilias;
  • Rastreamento para pré-eclâmpsia e restrição de crescimento intra-útero;
  • Avaliação da vitalidade fetal no 3º trimestre;
  • Rastreamento de anemia fetal em casos de Isoimunização RH.

Contraindicação

Não existe contraindicação para este exame.

Preparo

Não existe preparo específico para este exame.

Tempo de duração

O ultrassom pode durar de 30 a 60 minutos.

Como é realizado

Assim como na ultrassonografia normal, a gestante fica deitada em uma maca, enquanto o médico examinador utiliza um gel na pele para deslizar um aparelho, que emitirá as ondas sonoras na região do abdômen.

Agende seu exame

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades