IDEPI – Instituto de Diagnósticos Especializados Por Imagem

Histerossalpingografia

HisterossalpingografiaHisterossalpingografia

Radiografia contrastada da cavidade uterina e trompas

A Histerossalpingografia (HSG) é um procedimento ginecológico de Raio-X contrastado, utilizado para verificar possíveis anomalias nas trompas e na cavidade uterina. Elas são uma das principais indicações, ou as mais comuns, na investigação da infertilidade feminina.

É capaz de identificar diversos problemas ginecológicos, pois visualiza a anatomia do sistema reprodutor feminino desde o útero até os ovários. O exame é realizado por um radiologista e a paciente recebe alta no mesmo dia.

Vantagens da Histerossalpingografia

É um exame de diagnóstico, porém quando há uma obstrução simples e pequena das trompas, este exame pode facilitar a gestação.

Há relatos de mulheres que engravidaram semanas após a realização do procedimento, por conta do contraste desobstruir e liberar as trompas, o que permitiu a fertilização. No entanto, as situações não são comuns e a gravidez não deve ser o resultado esperado ao realizar a Histerossalpingografia.

Os casos de gravidez após o exame eram mais frequentes quando o contraste utilizado era o lipossolúvel, que apresenta maior densidade. Devido ao maior risco de alergia e reclamações de dor, este tipo de contraste não é mais utilizado.

Quando é indicado

A Histerossalpingografia deve ser realizada uma semana após a menstruação e antes da ovulação, entre o 6º ao 12º dia do ciclo menstrual. Para pacientes que não ovulam, a HSG pode ser feita em qualquer fase do ciclo menstrual.

Contraindicação

Este exame não deve ser realizado se a paciente já estiver grávida, pois o feto pode ser prejudicado.

Preparo

A histerossalpingografia deve ser feita do 8º ao 12º dia após o início da menstruação para garantir que a mulher não está grávida. Além disso outros cuidados de preparo incluem::

  • Analgésico ou antiespasmódico, será receitado conforme necessário pelo médico, após a realização do exame
  • Informar o ginecologista se existir a possibilidade de estar grávida;/li>
  • Informar o médico caso exista uma doença inflamatória pélvica ou doença sexualmente transmissível, como clamídia ou gonorreia.

Tempo de duração

Este procedimento pode ter duração média entre 20 a 30 minutos.

Como é realizado

Para realização da Histerossalpingografia, a paciente se deita em posição ginecológica (de barriga para cima e com as pernas bem abertas) e o médico radiologista realiza um rápido exame da pelve para inserir um espéculo vaginal – instrumento usado para dilatar a entrada da vagina. Se necessário, pode ser aplicada uma injeção com anestesia no colo do útero para aliviar a dor.

Em seguida, um cateter fino e flexível é inserido no orifício do colo do útero, por onde é injetada uma pequena quantidade de contraste com iodo. Este contraste consiste em um líquido colorido que mapeia os órgãos enquanto percorre o sistema reprodutor feminino, tornando possível a visualização de diferentes ângulos da cavidade uterina e das trompas, por meio de radiografias.

No decorrer do procedimento, o médico pode pedir para a paciente trocar de posição para mover o líquido a lugares específicos. Após o exame, o cateter é removido e a paciente recebe alta para ir para casa. Se dores ou cólicas persistirem, o médico deve ser consultado.

Agende seu exame

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades