IDEPI – Instituto de Diagnósticos Especializados Por Imagem

Punções e Biópsias

Punções e BiópsiasPunções e Biópsias

Amostras precisas de células e tecidos

As Punções e Biópsias são procedimentos destinados à coleta de uma amostra de células ou tecidos do seu corpo para testes em laboratório. Procedimentos comuns incluem aspiração por agulha fina e core biópsia, utilizadas na coleta de amostras de tecidos ou fluidos de músculos, ossos e outros órgãos, tais como o fígado ou os pulmões. Em alguns casos, também são realizadas aspirações de líquidos.

O IDEPI dispõe de material e método adequado para realização destes procedimentos, e conta com apoio de laboratório de patologia de alta qualidade na avaliação do material colhido. Os resultados destes exames poderão ser encaminhados diretamente ao médico clínico que acompanha o caso, serem enviados pelo correio, ou ainda serem retirados na nossa clínica, ou pela internet.

Também são realizados biópsias de VILO-CORIAL e LÍQUIDO AMNIÓTICO com interesse em analisar o cariótipo (cromossomas) do feto que apresenta risco aumentado para malformação de origem cromossomial.

Vantagens das Punções e Biópsias

Esse exame diagnóstico é indicado tanto em enfermidades simples, como as verrugas, como nas mais graves, como o câncer. Em doenças infecciosas a biópsia pode ajudar a determinar o agente causal. Em doenças autoimunes uma biópsia ajuda a confirmar ou informar as alterações esperadas em órgãos ou tecidos.

Podem ajudar a avaliar a gravidade da lesão e a evolução do tratamento. Em lesões de malignidade suspeita ou confirmada, as biópsias ajudam a estabelecer o grau histológico de neoplasia e a determinar a natureza, taxa de crescimento e agressividade do tumor, ajudando a elaborar o plano do tratamento e a prever o prognóstico da doença.

Modalidades do exame

  • Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF)
  • Biópsia por Fragmento (CORE-BIOPSY)
  • Biópsia por Agulhamento

Quando é indicado

Quando os exames por imagens não são suficientes para o diagnostico preciso, a morfologia das células e tecidos depende de uma análise microscópica de amostras retiradas das pessoas. Assim, o mais comum é proceder-se à biópsia naquelas pessoas com suspeitas diagnósticas de doenças que podem provocar alterações morfológicas nas células e tecidos, como os tumores, ou para estabelecer um diagnóstico diferencial entre enfermidades assemelhadas.

Contraindicação

  • Estado geral do paciente (se é diabético ou não, por exemplo);
  • Hipótese diagnóstica;
  • Lesões com diagnóstico clínico definitivo;
  • Neoplasias de glândulas salivares maiores (parótidas e submandibulares);
  • Melanomas (tumor maligno dos melanócitos);
  • Hemangioma: lesões de vasos sanguíneos.

Preparo

Em alguns casos, é aplicada uma anestesia local.

Tempo de duração

O procedimento dura em torno de 30 minutos, e o prazo médio para obter os resultados oscila entre sete e quatorze dias, podendo chegar a um mês, em casos de exames mais sofisticados.

Como é realizado

Sem a necessidade de internação, aqui no IDEPI as biópsias começam com uma adequada coleta do material. O profissional escolher a melhor área da lesão a ser biopsiada, a extensão correta de coleta e o material a ser colhido.

No caso de tecidos, o patologista fará fatias microscópicas deles, as tingirá com tinturas especiais e as fixará em uma placa de vidro a ser examinada ao microscópio.

As punções e biópsias são orientadas por imagens de ultrassonografia, radiografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, que ajudam a determinar o local exato em que o material deve ser colhido.

Agende seu exame

Newsletter

Fique por dentro de todas as novidades